QUANTO MAIS CACAU NA FÓRMULA, MELHOR

Liloripédia

QUANTO MAIS CACAU NA FÓRMULA, MELHOR
A Páscoa passou, mas as tentações do chocolate continuam 

Sabia que aquela mordida no chocolatinha pós-almoço pode ter inúmeros efeitos benéficos para a sua saúde? Bom, mas não se apolgue tanto, essa boa notícia serve para o consumo de chocolate amargo e com boas quantidades de cacau. 

Ricos em flavanóis, chocolates como esses melhoram a saúde cardiovascular, a pressão arterial, além de influenciar efeitos benéficos a nível cognitivo ligados a um menor risco de demência senil e até mesmo a redução do IMC (Índice de Massa Corpórea), desde que, obviamente, o consumo seja moderado e razoável. 

O hábito de ler o rótulo antes da compra faz a diferença. O melhor consumo é na versão amarga, aquelas com 70 a 100% de cacau na composição. “O meio amargo (40 a 60% de cacau) também faz bem ao organismo, mas deve ser uma opção secundária, por conter mais açúcar do que o amargo. Já o chocolate ao leite - que leva mais leite e açúcar do que cacau - e o branco - composto por manteiga de cacau, açúcar, leite e gordura saturada - praticamente não oferecem benefícios à saúde.

5 BONS MOTIVOS PARA CONSUMIR MAIS CHOCOLATE

Intestino
A função antioxidante do chocolate pode ajudar a proteger o intestino do stress oxidativo — quadro em que há a sobrecarga de alguma substância e que pode ocasionar danos às células. Com essa proteção, há menores chances de se desenvolver problemas intestinais, como o câncer de cólon. Segundo uma pesquisa coordenada por estudiosos do Instituto de Ciência, Tecnologia e Nutrição Alimentar, na Espanha, as substâncias antioxidantes presentes no alimento, como os polifenóis e os flavonóides, exercem uma proteção na mucosa intestinal e impedem a proliferação de células cancerígenas na região. 

Metabolismo
Chocolate é sinônimo de ganho de peso? Nem sempre. Uma pesquisa feita na Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, constatou que comer quantidades moderadas do doce, principalmente na versão amarga, pode ajudar a emagrecer. Professor J. Cléber concorda: “ O chocolate possui “calorias neutras” que, em pequenas quantidades, regulam o funcionamento do metabolismo e, conseqüentemente, combatem o acúmulo de gordura do corpo”.

Coração
Por ser um alimento antioxidante, o chocolate pode ajudar na boa saúde do coração. Entre os seus benefícios, ele auxilia na redução do colesterol ruim, o LDL, por diminuir a sua oxidação e, consequentemente, sua formação. “Assim, o chocolate auxilia na prevenção da placa de ateroma, que se forma na parede dos vasos sanguíneos com o acúmulo do LDL. Em casos graves, essas placas podem causar infarto e acidente vascular cerebral”, explica a cardiologista do Hospital Federal dos Servidores do Estado do Rio de Janeiro, Angélica  Bosinger, acrescentando que, além disso,  o chocolate auxilia no funcionamento das células que recobrem os vasos sanguíneos, reduzindo o colesterol total.

Músculos
Segundo J. Cléber, um estudo publicado pelo periódico "Applied Physiology, Nutrition, and Metabolism" descobriu que atletas de ciclismo de alta performance que tomaram leite com achocolatado depois do treino tiveram melhores desempenhos no treino seguinte do que os que ingeriam bebidas esportivas. “Os cientistas constataram que a bebida com chocolate alivia dores musculares e regenera os músculos por aumentar em 70% o poder do consumo máximo de oxigênio” diz o especialista em esporte.

Mente
Além dos efeitos positivos à saúde física, o chocolate nos faz sentir melhor, um dos motivos pelos quais ele é muito popular. O chocolate contém triptofano, um aminoácido que é um precursor da serotonina, neurotransmissor responsável pela sensação de bem-estar. O alimento também tem outras substâncias que colaboram para o humor, como a feniletilamina — que é semelhante à anfetamina. A substância eleva os níveis da dopamina, neurotransmissor relacionado à sensação de prazer e que atua como estimulante.

Simone Valvassori
Nutricionista e Consultora de Processos e Qualidade da Lilóri